POUSIO na Brotéria


Aproveitando a estada, em residência artística na Brotéria (durante o segundo confinamento), quisemos desafiar o público—via zoom—a discutir o papel da arte na sociedade, passando pelos temas da amizade social, saúde, direitos humanos, educação, economia e a sua capacidade de comunicar.

︎ Rever as conversas



Oradores no ciclo de conversas “A arte lavra”


    ...arte na sociedade (presencial, na Brotéria)
   
— Manuel Costa Cabral, artista plástico e fundador da Ar.Co Centro de Arte
    — Francisca Gigante, curadora e criadora da plataforma friends in the arts (FITA)
    — Cristina Filipe, joalheira, fundadora e diretora da PIN — Associação Portuguesa de Joalharia Contemporânea
    — João Sarmento sj, padre, escultur, galerista e curador da Brotéria

    ... enquanto direito humano
    — Patrícia Assis, fundadora da Ant Element e ex-CEO da Sapana
    — Dusso Djabula, estudante de Direito e Research Associate no NOVA BHRE
    — João Motta Guedes, artista e investigador no projeto Cosmopolitanism: justice and democracy without borders


    ... será que a arte serve para comunicar
    — Leonor Nazaré, assessora e curadora da Coleção Moderna do Museu Fundação Calouste Gulbenkian
    — Miguel Lobo Antunes, jurista e gestor cultural, vice-presidente do Instituto Português do Cinema e administrador do CCB e da Culturgest
    — João Sarmento sj, padre, escultur, galerista e curador da Brotéria


    ... a saúde mental
    — Ana Cardoso de Oliveira, psicóloga clínica responsável pela Psicologos Associados e pelos Encontros com a Identidade
    — Sandro Resende, professor, diretor artístico, fundador da Associação P28 e do Manicómio
    — Teresa Esteves da Fonseca (aka poethika), poeta e colaboradora de revista Brotéria
    — João Norton sj, padre jesuíta da Brotéria, professor de estética e teologia na Católica-Lisbon


    ... a presença da cultura e do património da educação
    — Sara Barriga Brighenti, subcomissária no Plano Nacional das Artes
    — Maria Duarte, Associação Cultura Projeto Teatral, professora de interpretação na Escola Superior de Teatro e Cinema (ESTC)
    — Maria de Assis, foi diretora do programa Gulbenkian Educação para a Cultura e Ciência, Assessora do Concelho de Administração da EGEAC ao abrigo do protocolo entre a FCG e a EGEAC na área educativa